top of page

Arquétipo de Atena por Bolen

O arquétipo de Atenas






Como deusa da sabedoria, Atenas era conhecida por suas estratégias vitoriosas e

soluções práticas. Como arquétipo, Atenas é seguida pelas mulheres de mente lógica,

governadas mais pela razão do que pelo coração. Atenas é um arquétipo feminino: ela

demonstra que pensar bem, manter a calma no ponto mais culminante de uma

situação emocional e desenvolver boas táticas no meio do conflito são traços naturais

para algumas mulheres. Tal mulher está sendo como Atenas, não agindo "como um

homem". Seu aspecto masculino, ou animus, não está pensando por ela. Ela está

pensando claramente e bem por si mesma. O conceito de Atenas como arquétipo do

pensamento lógico desafia a premissa junguiana de que o pensar é realizado por uma

mulher através de seu animus masculino, que se presume ser diferente do seu "ego"

feminino. Quando a mulher reconhece o modo intenso com que sua mente trabalha

como uma qualidade feminina relacionada com Atenas, ela pode desenvolver uma

auto-imagem positiva, ao invés de se amedrontar de estar masculinizada, isto é,

Imprópria.


Quando Atenas representa apenas um dos muitos arquétipos ativos numa

determinada mulher - em vez de um único padrão dominante - então esse arquétipo

pode ser um aliado das outras deusas. Por exemplo, se ela é motivada por Hera a

necessitar de um companheiro para se sentir completa, então Atenas pode ajudar a

avaliar a situação e desenvolver uma estratégia para conseguir seu homem. Ou, se

Ártemis é a inspiração direcionada para a sanidade coletiva das mulheres, o sucesso

do projeto pode depender da perspicácia política de Atenas. No meio de uma

tempestade emocional, se a mulher puder invocar Atenas como um arquétipo dentro

de si mesma, a racionalidade a ajudará a orientar-se.


A deusa virgem


As qualidades invulneráveis e íntegras de Ártemis aplicam-se da mesma forma a

Atenas. Quando Atenas governa a psique da mulher, ela - como as mulheres que se

assemelham a Ártemis ou Héstia - é motivada por suas próprias prioridades. Como o

arquétipo de Ártemis, Atenas predispõe a mulher a enfocar aquilo que lhe interessa,

em vez de enfocar as necessidades dos outros.

Atenas difere de Ártemis e de Héstia no que diz respeito à deusa virgem que

procurava a companhia dos homens. Em vez de separar-se ou retirar-se, ela aprecia

estar no meio da ação e do poder masculino. O elemento da deusa virgem a ajuda a

evitar as complicações emocionais e sexuais com os homens com os quais trabalha

intimamente. Ela pode ser companheira, colega ou confidente dos homens, sem

desenvolver sentimentos eróticos ou intimidade emocional.

Atenas emergiu da companhia dos deuses olímpicos como adulta completamente

desenvolvida. Foi retratada em sua mitologia interessando-se por assuntos de

conseqüência mundial. O arquétipo de Atenas representa portanto uma versão de

deusa virgem mais velha, mais amadurecida do que Ártemis. A orientação realista de

Atenas para o mundo como ele é, sua atitude pragmática, sua conformidade aos

padrões "adultos" (isto é, tradicionalmente recebidos) e a falta de romantismo ou de

idealismo completam essa impressão de Atenas como o epítome do "adulto sensível".



A estrategista


A sabedoria de Atenas era a do general distribuindo forças ou a do magnata de

negócios manobrando com perícia a competição. Foi a melhor estrategista durante a

Guerra de Tróia. Suas táticas e intervenções ganharam vitórias para os gregos no

campo de batalha. O arquétipo de Atenas prospera nas arenas comerciais,

acadêmicas, científicas, militares ou políticas. Por exemplo, Atenas pode se manifestar

na mulher com mestrado em administração comercial. Aliada com um mentor

poderoso, ela abre caminho para a ascensão da corporação. A rápida ascensão de

Mary Cunningham à vice-presidência da Corporação Bendix, como a talentosa

afilhada do presidente e dirigente do conselho, seguiu um curso de Atenas. Quando

seu relacionamento recebeu atenção desfavorável, ela reiniciou para mudar

lateralmente para uma importante posição com Schenley, outra corporação poderosa

e importante. Esta sábia mudança poderia ser considerada o equivalente de um

afastamento estratégico e uma ação decisiva tomada debaixo do fogo.

A perspicácia de Atenas possibilita à mulher avançar efetivamente onde quer que as

considerações políticas ou econômicas sejam importantes. Ela pode usar sua

habilidade de pensar estrategicamente para favorecer seus próprios projetos, ou como

consultora-associada de um homem ambicioso em ascensão. Em qualquer caso, o

arquétipo de Atenas governa as mulheres que sabem o que é ser "inevitável", cuja

inteligência é ligada ao prático e ao pragmático, cujas ações não são determinadas

pela emoção ou dominadas pelo sentimento. com Atenas em sua psique, a mulher

lança mão ao que deve ser feito e imagina como alcançar o que quer.

A diplomacia, que envolve estratégia, poder e manobras enganadoras, é um domínio

no qual Atenas se sobressai. Clare Booth Luce, uma beldade famosa, teatróloga,

congressista, embaixadora na Itália e general de honra no Exército dos Estados

Unidos, tinha essas qualidades de Atenas. Era admirada e criticada por sua ambição e

por usar sua inteligência e alianças para explorar o mundo dos homens. Ela era

casada com Henry R. Luce, fundador da revista Time, um Zeus em seu império

próprio. Aos olhos de seus admiradores, era digna de louvor por sua frieza, embora

seus críticos a citem como "fria" e intrigante.2


Igualmente como Atenas é a mulher com um título de doutorado que é efetiva na

academia. Alcançar o posto requer pesquisa, obter publicação, servir em comitês,

receber concessões, saber qual é o jogo e fazer pontos. Para irem adiante, tanto as

mulheres como os homens necessitam de mentores, patrocinadores e aliados. A

habilidade intelectual apenas não é em geral suficiente; é preciso considerações

táticas e políticas: que assunto ela estuda, ensina ou pesquisa; em que "campus" ela

fixa residência; que cátedra departamental ou de mentor ela escolhe... Tudo tem lugar

para decidir se ela conseguirá obter privilégios e posições necessárias para se fazer o

Trabalho.



Rosalyn Yalow é vencedora do prêmio Nobel em química por suas descobertas em

radioimunologia (o uso de isótopos radiativos para medir quantidades de hormônio e

outras substâncias químicas no corpo). Para completar com bom êxito o que fez,

Rosalyn Yalow deve ser uma brilhante Atenas. Ela fala de alegrias de trabalhar com as

mãos e o cérebro (combinando os aspectos da sabedoria e das habilidades de

Atenas). Yalow teve que ser uma forte estrategista para planejar as seqüências

laboratoriais que conduziram às suas descobertas, uma habilidade que também deve

tê-la mantido em bom lugar quando carreiras políticas estavam envolvidas.


As mulheres artesãs


Como deusa das artes Atenas envolvia-se em fazer coisas que eram ao mesmo tempo

úteis e esteticamente agradáveis. Era muito notada por suas habilidades como tecelã,

onde as mãos e o cérebro devem trabalhar juntos. Para se fazer uma tapeçaria ou

tecelagem, a mulher deve esquematizar e planejar o que fará e depois, fileira por

fileira, criá-la metodicamente. Esse método é uma expressão do arquétipo de Atenas,

que dá ênfase à previsão, planejamento, domínio da habilidade e paciência.

As habitantes da fronteira que teciam, criavam roupas e faziam praticamente tudo o

que era usado por suas famílias, incorporavam Atenas em seu campo doméstico.

Lado a lado com seus maridos, elas desbravavam a terra da selva, dominando a

natureza conforme eles prosseguiam afastando a fronteira Oeste. Sobreviver e ser

bem sucedido requeria os traços de Atenas.


A "filha do pai"


Enquanto arquétipo da "filha do pai", Atenas representa a mulher que tende

naturalmente aos homens poderosos que têm autoridade, responsabilidade e poder,

homens que se ajustam ao arquétipo do pai patriarcal ou do "homem patrão". Atenas

predispõe as mulheres a formar relacionamentos de mentoras com homens decididos

que compartilham de seus interesses e de modos semelhantes de olhar as coisas. Ela

conta com dedicação mútua. Como a própria Atenas, uma vez que dá a ele seu voto

de fidelidade, ela se torna a sua mais ardente defensora ou seu "braço direito", com

crédito total para usar bem sua autoridade e proteger as prerrogativas dele.

Muitas dedicadas secretárias executivas, que devotam suas vidas a seus patrões, são

mulheres tipo Atenas. Sua lealdade para com seus homens escolhidos é inabalável.

Quando penso em Rosemary Woods, secretária particular de Richard Nixon, e na

obliteração dos 18 minutos nas fitas de Watergate, eu me pergunto se não houve "um

dedinho" de Atenas nisso. Sei que teria sido como Atenas ter compreendido a

"sabedoria" de livrar-se de tal prova e como Atenas tê-la apagado sem sentir culpa.

A qualidade de filha do pai pode tornar uma mulher tipo Atenas uma defensora dos

direitos e valores patriarcais, que enfatizam a tradição e a legitimidade do poder

masculino. As mulheres tipo Atenas comumente mantêm o "status quo" e aceitam as

normas estabelecidas como linhas mestras de comportamento. Tais mulheres são em

geral politicamente conservadoras. Elas resistem à mudança. Atenas tem pouca

compaixão pelos mal-sucedidos, oprimidos ou rebeldes.

Por exemplo, Phyllis Schlafly, uma Phi Beta Kappa com mestrado em Radcliffe, mulher

extraordinariamente bem organizada e articulada, conduziu a oposição à Emenda dos

Direitos de Igualdade. Antes da liderança da oposição, a ratificação parecia inevitável.

Nos primeiros doze meses de sua vida, um ano antes que Phyllis Schlafly formasse

sua organização STOPERA, em outubro de 1972, a ERA tinha conseguido trinta

ratificações. Mas, uma vez que conduziu suas tropas à batalha, ela parou. Nos

próximos oito anos, somente mais cinco estados ratificaram, e cinco dos trinta e cinco

estados ratificados votaram para rescindir sua ratificação. Schlafly, cujo biógrafo a

chamou de "the sweetheart of the silent majority" é uma Atenas contemporânea no

papel de filha arquetípica do pai, defendendo valores patriarcais.




O justo meio-termo


Quando o arquétipo de Atenas é forte, a mulher mostra uma tendência natural de fazer

todas as coisas com moderação para viver "o justo meio-termo", que era o ideal

ateniense. Os excessos são em geral o resultado de sentimentos intensos ou de

necessidades ou de uma natureza apaixonada, justa, temível, ou cobiçosa, coisas que

são antitéticas para a racional Atenas. O justo meio-termo é também mantido pela

tendência de Atenas de conduzir acontecimentos, notar efeitos, e mudar um curso de

ação tão logo ele pareça improdutivo.

A Atenas encouraçada

Atenas chegou ao cenário olímpico com esplêndida couraça dourada. E, na verdade,

estar "encouraçada" é um traço de Atenas. As defesas intelectuais conservam tal

mulher longe do sofrimento, tanto do próprio como o dos outros. No meio da agitação

emocional ou cruel luta corpo-a-corpo, ela permanece impermeável ao sentimento

enquanto observa, qualifica e analisa o que está acontecendo, e decide o que fará

depois.

No mundo competitivo, o arquétipo de Atenas tem indiscutível vantagem sobre o de

Artemis. A mulher tipo Artemis tem objetivos e compete, mas não é encouraçada,

como a deusa Artemis, que usava uma túnica curta. Se o arquétipo d